empresa nossa história

Em 1947, a OREGON® Saw Chain Manufacturing Corporation foi fundada com apenas quatro funcionários e um único produto. Hoje, conhecida como OREGON® Cutting Systems Division pertencente ao grupo Blount Inc., a mesma empresa é parte de uma corporação com 5.000 funcionários e centenas de produtos que variam de um elo de corrente a um trator de mecanização florestal.

Abaixo estão algumas pessoas/produtos e eventos que vem marcando mundialmente a história da OREGON®, "a marca número um" em em sistemas de corte.

 

Uma Maneira Melhor Para Se Cortar Madeira


beetle

Em 1946 durante um dia frio de outono, o lenhador/inventor Joe Cox estava cortando lenha quando parou por um instante para examinar o movimento curioso que se passava em uma tora de madeira. Uma larva, do tamanho de um dedo indicador, estava mastigando facilmente a madeira, indo de um lado ao outro sem problemas.

Joe era um lenhador com bastante experiência em serras a gasolina usadas naquele tempo, mas o corte da madeira era um problema. Requeria muito tempo para afiação e manutenção. "Eu passei muitos meses procurando por uma resposta a este problema," lembrava Joe. "Eu encontrei esta resposta na larva da madeira".

Joe sabia que se fosse possível reproduzir em metal a mordedura alternada em forma de "C" da larva, ele poderia ter grande sucesso. Trabalhando no porão de sua residência localizada em Portland no estado de Oregon, desenvolveu uma corrente revolucionária. A primeira Corrente de Corte, foi produzida e vendida em Novembro de 1947. O projeto básico da corrente original de Joe continua até hoje sendo muito usado, e representa uma das maiores influências na história do corte de madeira.

Dois acontecimentos marcantes ocorreram em 1948. Primeiro, a empresa mudou-se do porão da casa de Joe para uma instalação maior (um barracão de 1.524m2) e segundo, Joe contratou seu décimo sexto funcionário, John Dom Gray.

John tinha 28 anos e era recém formado em Administração pela Universidade de Harvard. Quando John começou a trabalhar na empresa, a cadeira de sua sala onde trabalhava era um pequeno barril. Apesar do humilde começo de carreira, John dizia. "Eu gosto do desafio, ter sido admitido como um dos primeiros colaboradores em algo tão estimulante e com grande potencial". Tempos mais tarde, John teve a oportunidade de ver o crescimento da empresa de $300 mil para $300 milhões de dólares.

Em 1951, as vendas excederam 1 milhão de dólares. Em 1952 a empresa tornou-se uma corporação multinacional através da aquisição da Planer Chain Ltda localizada em Guelph no estado de Ontário (Canadá),

Em 1953 Joe vendeu a empresa para John Gray e o crescimento da mesma continuou veemente. Em 1955 a empresa então mudou-se para sua primeira verdadeira fábrica, um estabelecimento de 19.800m2 em Portland, onde mais tarde serviu como área administrativa da empresa. Uma nova fábrica foi construída para as operações canadenses, e John Gray fez uma viagem de negócios à Suécia, onde ele encontrou o primeiro cliente europeu para as correntes OREGON®.

Em 1959, a empresa entrou no mercado internacional e requereu a sua primeira patente para elos de segurança para correntes de motosserra.

Hoje, elos de segurança são naturalmente associados com proteção e redução de rebote. Mas em 1959, esperava-se somente que estes elos reduzissem o freqüente travamento que acontecia na operação de corte de galhos pequenos. Depois de um período de uso, produtores de celulose constataram um benefício inesperado - redução no número de acidentes com motosserras. Um grande número destas empresas obrigou o uso da nova corrente.

Em 1963 uma nova e extraordinária corrente deu início à era moderna de correntes de corte leve, de alta velocidade e acionamento direto. A motosserra era uma Homelite XL12 e a corrente era uma OREGON® 72D - a primeira corrente de passo 3/8" feita especialmente para motosserras. Os dois produtos obtiveram grande sucesso e outras correntes secundárias do projeto original da 72D continuam sendo muito usadas até hoje.

Uma Maneira Mais Segura Para Se Cortar Madeira

O final dos anos 60 e princípio dos anos 70 foram marcados pela pesquisa e desenvolvimento na redução de riscos de rebote na ponta da barra. Em 1970 começou-se o desenvolvimento de uma máquina de teste de rebote. Em 1972 este projeto foi finalizado, quando então um equipamento de teste de rebote de terceira geração foi concluído.

Através de equipamentos de testes OREGON®, foi possível o desenvolvimento de novos produtos de rebote reduzido. Correntes de baixo perfil tais como as da série 91 (1974) e série 76 (1975) foram as primeiras com esta característica.

No final dos anos 70, foi iniciado por vários fabricantes da indústria de motosserras e pela Comissão de Segurança do Consumidor dos Estados Unidos, um trabalho intenso e cooperativo com relação ao critério da performance do rebote. Engenheiros da OREGON foram os maiores responsáveis na atuação deste projeto durante muitos anos de trabalho, que finalmente em 1985 resultaram em exigências nos padrões de segurança da performance do rebote conhecido como ANSI B175.1

Também em 1985, a Omark Industries, que havia se tornado a matriz da Oregon Saw Chain, foi comprada pela empresa internacional de construção e manufatura, Blount Incorporation, situada em Montgomery no Alabama. Então em Agosto de 1999, a Blount juntou-se com uma afiliada da Lehman Brothers Merchant Banking, a 88ª maior empresa americana na lista das 500 Empresas mais prósperas

Uma Maneira Para Se Cortar Madeira no Futuro

Equipamentos de mecanização florestal proporcionam maior produtividade e segurança em um único equipamento, e exercerá mundialmente um papel muito importante no corte de madeira. Em 1989, a corrente harvester OREGON® 18H e barras harvesters de calibre .080" foram colocadas no mercado para resistir a altas velocidades e grandes esforços gerados por equipamentos de alta produtividade.

Na década de 90 muitos dos produtos de corte da empresa foram atualizados, através de mudanças de projetos e lançamento de novos produtos com tecnologia avançada, tais como:

1. Corrente 11H para equipamentos de mecanização florestal. É uma corrente para trabalho pesado, que corta mais rápido, resistente a danos e de maior durabilidade em condições difíceis de corte, por exemplo: em terrenos com muita, terra e pedra.

2. Barras PowerMatch Plus e Laser Tip Plus. Produtos resistentes para motosserristas profissionais. São super resistentes devido ao material com liga de cromo-molibdênio usado no processo de manufatura. Possuem uma estrutura mais forte e incomparável resistência ao desgaste do trilho da barra.

Os Sistemas de Corte OREGON® pretendem continuar fazendo mundialmente contribuições positivas á indústria florestal com produtos inovadores.


Uma História de sucesso também no Brasil

Blount
Vista aérea da fábrica da Oregon® em Curitiba.   


Fundada em 1979 na cidade de Curitiba / PR, a Divisão Oregon® de Sistemas de Corte pertence ao grupo BLOUNT. Da fábrica na Capital Paranaense os produtos Oregon® são exportados para todo o mercado da América Latina,Europa e Ásia. A Oregon® tem qualidade assegurada, maior durabilidade, proporcionando maior produtividade. Para que isso seja possível os investimentos são constantes em recursos humanos e tecnologia de ponta, objetivando aumentar ainda mais a satisfação dos nossos clientes.

Com a implementação do sistema da qualidade baseado na norma série ISO 9000 confirmamos em todas nossas fábricas (USA, Canadá e Brasil) uma padronização nos processos de produção, ondecertamente os produtos Oregon® mantém a mesma qualidade em qualquer parte do mundo. 
Para assegurar a confiabilidade dos produtos Oregon®, nosso sistema de produção utiliza os mais modernos métodos de controle estatístico de processo.

Os investimentos em tecnologia não param, buscando sempre melhorias nas condições de trabalho e no desempenho dos produtos Oregon®. Freqüentemente são realizados testes de campo para certificarmos que os produtos estão dentro das especificações Oregon®.